SOBRE A PROPOSTA DE ACORDO

Atualização importante: A data da Audiência Pública foi alterada para 5 de junho de 2019.

  • O acordo encerrará uma ação judicial das au pairs ajuizada contra as patrocinadoras de vistos J-1 designadas pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos para operar o programa de au pair (as “Rés”), alegando várias reivindicações contra as Rés decorrentes do salário semanal pago pelas famílias que hospedavam as au pairs. O Tribunal ainda não decidiu se as Rés cometeram alguma irregularidade ou se violaram qualquer lei.
  • O acordo cria um fundo de US$ 65.500.000,00 para pagar as indenizações individuais das au pairs, as despesas incorridas no avanço desta ação judicial e os advogados nomeados pelo tribunal para as au pairs (“Advogados da Classe”).
  • O acordo também exige que, daqui para frente, as Rés esclareçam, por meio de uma notificação para as au pairs e para as famílias que as hospedam, que o salário semanal de au pair é uma exigência de pagamento mínimo.
  • Os advogados nomeados pelo tribunal para as au pairs, os quais lidaram com todos os aspectos deste caso e não foram pagos pelo seu trabalho, solicitarão ao Tribunal 35% do acordo para o pagamento de seus respectivos honorários e despesas judiciais.
  • O Tribunal ainda tem que decidir se aprova o acordo. Os pagamentos serão feitos se o Tribunal aprovar o acordo e somente após a resolução de qualquer apelação.
  • Seus direitos e opções, bem como os prazos para exercê-los, são explicados na Notificação de proposta de acordo. Leia a notificação com atenção.

SAIBA MAIS

Clique aqui para ler ou baixar a notificação de proposta de acordo.

Clique aqui para ler ou baixar os principais documentos relacionados ao acordo e à ação coletiva.

SEUS DIREITOS E OPÇÕES

As suas direitos e opções são explicadas na Notificação de proposto de acordo. Se você deseja enviar um formulário de reivindicação, retirar-se do acordo, seja no todo ou em parte, ou contestar o acordo, você tem até 2 de maio de 2019.

A única maneira de receber um pagamento. Renunciar às reivindicações.

Não receber pagamento. Manter as suas reivindicações.

Escrever para o Tribunal informando o motivo pelo qual você não concorda com o acordo.

Solicitar permissão ao Tribunal para pronunciar-se a respeito da equidade do acordo.

Não receber pagamento. Renunciar às reivindicações.